Covid-19 e fake news: análise das notícias verificadas no site “Fato ou Fake”

Marcelli Alves DA SILVA, Frida Bárbara MEDEIROS, Kellen Alves CERETTA

Resumen


Este trabalho analisou as publicações na seção Fato ou Fake, localizada na página do G1. Para isso, foram criadas 9 categorias de análises: profilaxia e cura do coronavírus, vacina, xenofobia, vídeos verdadeiros no contexto falso, teoria de que o vírus foi previsto no passado, político, pânico, isolamento social e outros. A partir das análises, concluiu-se que 86 notícias foram encontradas em um período de 60 dias. Além disso, percebe-se que embora os recursos tecnológicos e a internet facilitam sobremaneira o acesso a todos os tipos de informação, a checagem desta é cada vez mais necessária. Essa situação reforça ainda mais a importância do jornalista e o papel do Gatekeeper. 


Palabras clave


Fato ou Fake; Covid-19; Fake News; Jornalismo; G1.

Referencias


BAPTISTA, C. (2019). Digitalização, desinformação e notícias falsas- uma perspectiva histórica. As fake news e nova ordem (des)informativa na era da pós-verdade. [S. l.]: Coimbra. Imprensa da Universidade de Coimbra.

BARDIN, L. (2006). Análise de conteúdo (L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trads.). Lisboa: Edições 70. (Obra original publicada em 1977)

BRISOLA, A. & BEZERRA, A. C. (2020) Desinformação e circulação de “fake news”: distinções, diagnóstico e reação. Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, n. XIX ENANCIB, 2018. Disponível em: . Acesso em: 20 jul de 2020.

CHAVES, Tânia S. S. & BELLEI, Nancy. (2020) SARS-CoV-2, o novo Coronavírus: uma reflexão sobre a Saúde Única (One Health) e a importância da medicina de viagem na emergência de novos patógenos. Revista de Medicina, [S.l.], v. 99, n. 1.

FEHR Anthony R., PERLMAN Stanley. (2015) Coronaviruses: an overview of their replication and pathogenesis. Methods Mol Biol; 1282:1-23.

FILGUEIRAS, I. (2018) O bom jornalismo contra a desinformação. In: FILGUEIRAS, I.; RIBEIRO, R.; PINHEIRO, H. (org.). Jornalismo em tempos de pós-verdade. 1ed. Fortaleza: Dummar.

FILHO, C. M. (2019). Fake news: o buraco é muito mais em baixo. In: FIGUEIRA, J.; SANTOS, S. (org.). As fake news e nova ordem (des)informativa na era da pós-verdade. [S. l.]: Coimbra. Imprensa da Universidade de Coimbra.

FLUMIGNAN, W. G. (2020). A responsabilidade civil dos provedores de internet pela supressão de notícias falsas sobre saúde pública. Brasilia – DF. Revista de Direito do Consumidor. V.130.

G1, G1 lança Fato ou Fake, novo serviço de checagem de conteúdos suspeitos, Rio de Janeiro, 30 de jul. de 2018. Disponível em: https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2018/07/30/g1-lanca-fato-ou-fake-novo-servico-de-checagem-de-conteudos-suspeitos.ghtml. Acesso em: 20 de jul. de 2020.

HOEK, Lian van der; PYRC, Krzysztof & JEBBINK, Maarten. (2004). Identification of a new human coronavirus. Nature Medicine, [S.l.], v. 10, p. 368-373.

JUNIOR, J. et al. (2020). Da Desinformação ao Caos: uma análise das Fake News frente à pandemia do Coronavírus (COVID-19) no Brasil. Cadernos de Prospecção. Salvador, v. 13, n. 2.

LANA, R. M. et al. (2020). Emergência do novo coronavírus (SARS-CoV-2) e o papel de uma vigilância nacional em saúde oportuna e efetiva. Cadernos de Saúde Pública, [S.l.], v. 36, n. 3.

SODRÉ, M. (2019). O facto salto: do factóide às fake news. As fake news e nova ordem (des)informativa na era da pós-verdade. [S. l.]: Coimbra. Imprensa da Universidade de Coimbra.

TRAQUINA, N. (2005).Teorias do jornalismo. Florianópolis: Insular.

WHITE, D. M. (1999). O gatekeeper: uma análise de caso na seleção de notícias. In.: TRAQUINA, Nelson (Org.). Jornalismo: Questões, teorias e estórias. [s.l.] Lisboa. Vega.




DOI: https://doi.org/10.16921/chasqui.v1i145.4312

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2020 Marcelli Alves da Silva, Frida Bárbara Medeiros, Kellen Alves Ceretta

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

convocatorias

Es una edición cuatrimestral creada y editada por CIESPAL.
Av. Diego de Almagro N32-133 y Andrade Marín.
Quito-Ecuador.

Síguenos en:

convocatorias

convocatorias

Revista Chasqui 2018
está bajo Licencia Creative Commons Atribución-SinDerivar 4.0 Internacional.