Empreendimentos jornalísticos digitais e o interesse público

Patrícia MAURÍCIO, Raquel ALMEIDA

Resumen


O objetivo desse artigo é analisar o ecossistema de empreendimentos digitais de jornalismo no Brasil, criados em sua maioria por jornalistas egressos de veículos tradicionais. Em grande parte, esses jornalistas foram demitidos de seus empregos por conta da disrupção do modelo de negócios do jornalismo causada pela internet, e se tornaram empreendedores por falta de escolha. Inspirado pelo movimento do empreendedorismo digital, pela utopia do livre acesso à informação e pela ideologia californiana, neste novo ambiente é possível identificar as relações dessas iniciativas com plataformas como Facebook e Google e com os veículos de comunicação tradicionais. A investigação problematiza este modelo de negócios inspirado em startups e sua relação com o interesse público.



Palabras clave


empreendedorismo; modelos de negócios; Economia Política da Comunicação; plataformas digitais; jornalismo

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Barbrook, R. & Cameron, A. (1995). Californian Ideology. Disponível em: http://www.alamut.com/subj/ideologies/pessimism/califIdeo_I.html

Becker, B. and Waltz, I. (2017), "Mapping Journalistic Startups in Brazil: An Exploratory Study", Brazil (Studies in Media and Communications, Vol. 13), Emerald Publishing Limited, pp. 113-135. https://doi.org/10.1108/S2050-206020170000013012.

Bolaño, C. (2013). Industria cultural, Información y Capitalismo. Barcelona: Gedisa Editorial.

_________(2017). Economia Política da Internet vol. 2: jornalismo online. São Cristóvão-SE: Editora UFS.

Casaqui, V. (2015). A construção do papel do empreendedor social: mundos possíveis, discurso e o espírito do capitalismo. São Paulo: Galáxia - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Duarte, J. & Barros, A. (2014). Métodos e Técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas.

Figaro, R. & Nonato, C. (2017). Novos arranjos econômicos alternativos para a produção jornalística. Contemporanea | comunicação e cultura - v.15 – n.01. Salvador, Bahia.

López-Ruiz, O. (2004). O ethos dos executivos das transnacionais e o espírito do capitalismo. Campinas: Universidade de Campinas - Unicamp.

Morozov, E. (2011). The Net Delusion: The Dark Side of Internet Freedom. Nova York: Public Affairs.

Rosen, J. (2013). The rise of the personal franchise site in news. Nova York. Disponível em http://pressthink.org/2013/07/the-rise-of-the-personal-franchise-site-in-news/#p7.

Santos, L. G. (2003). Consumindo o futuro. Politizar as Novas Tecnologias. São Paulo: Ed. 34.

Scholz, T. Cooperativismo de plataforma: contestando a economia do compartilhamento corporativa. Editora Elefante, São Paulo, 2016.

Sodré, M. (1977). O monopólio da fala. Petrópolis, RJ: Vozes.

____ (2010). Reinventando a Cultura. Petrópolis: Vozes.

Waltz, I. (2019). Startups Jornalísticas: inovações e continuidades no jornalismo brasileiro (no prelo). Estará disponível em meio digital em: http://www.pos.eco.ufrj.br/site/teses_dissertacoes_interna.php?tease=20.

Srnicek, N. (2017) Platform Capitalism. Polity Press, Cambridge.




DOI: https://doi.org/10.16921/chasqui.v1i142.4060

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2020 Patrícia Maurício

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

convocatorias

Es una edición cuatrimestral creada y editada por CIESPAL.
Av. Diego de Almagro N32-133 y Andrade Marín.
Quito-Ecuador.

Síguenos en:

convocatorias

convocatorias

Revista Chasqui 2018
está bajo Licencia Creative Commons Atribución-SinDerivar 4.0 Internacional.