Bolsonarismo e o homo delinquens

Ana Tázia PATRICIO DE MELO CARDOSO, Alexsandro Galeno ARAÚJO DANTAS, Patricia Rilliane GOMES DA SILVA

Resumen


O bolsonarismo, sem ressalvas, se constitui e se delineia como uma opinião baseada em linchamentos digitais, insultos e desrespeito. Motivado pela influência desse fenômeno político e comunicacional brasileiro, este artigo apresenta uma reflexão ensaística sobre o tema, estimulada pela entrada em um grupo público do  WhatsApp  denominado  Direita do Rio Grande do Norte,  formado por apoiadores do então presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro (sem partido). No campo, ou o silêncio foi nossa principal ferramenta, pois, pode ser feito qualquer comentário ou alerta que sensibilize os limites da opinião bolonarista. Dessa forma, salientemos ou contagio sem contato que caracteriza a sociedade atual, na qual ela se expressa ou  Homo delinquens.


Palabras clave


Fake news; whatsApp; opinião; linchamentos virtuais.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


AGAMBEN, G. (2004). Homo Sacer: Estado de exceção. II, I. Tradução de Iraci D. Poleti. São Paulo: Editora Boitempo.

AGAMBEN, G. (2002). Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua I. Tradução de Henrique Burigo. Belo Horizonte: Editora UFMG.

AGAMBEN, G. (2009). O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Tradução de Vinicius Nicastro Honesko. Chapecó. Argus.

AGAMBEN, G. (2011). O reino e a glória: uma genealogia teológica da economia e do governo. Tradução de Selvino Assmann. São Paulo. Boitempo Editorial.

BAUMAN, Z. (1998). O mal-estar da pós-modernidade. Tradução de Mauro Gama e Claudia Martinelli Gama. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

CARDOSO, A.T. (2018). O processo de impeachment de Dilma Rousseff. Micropolíticas do possível em Gabriel Tarde. (Tese Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Natal. Disponível em: https://sig https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/29663 aa.ufrn.br/sigaa/public/programa/defesas.jsf?lc=pt_BR&id=360

D’ANCONA, M. (2018). Pós-verdade: a nova guerra contra os fatos em tempos de fake news. Tradução de Carlos Szlak. Barueri: Faro Editorial.

DUNKER, C. et al. (2017). Ética e pós-verdade. Porto Alegre: Dublinense.

FREUD, S. (2010). O mal-estar na civilização. Novas conferências e outros textos (1930-1936). Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras.

FREUD, S. (2011). Psicologia das massas e análise do eu e outros textos (1920-1923). Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras.

FOUCAULT, M. (2008a). Nascimento da biopolítica. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes.

FOUCAULT, M. (2008b). Segurança, território e população. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes.

FOUCAULT, M. (1987). Vigiar e punir: história da violência nas prisões. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes.

HAN, B. (2018). O enxame. Perspectivas do digital. Tradução de Lucas Machado. São Paulo: Editora Vozes.

IBGE Educa. Uso de internet, televisão e celular no Brasil (2019). Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/jovens/materias-especiais/20787-uso-de-internet-televisao-e-celular-no-brasil.html

LATOUR, B. (2002). Reflexão sobre o culto moderno dos deuses fe(i)tiches. Tradução de Sandra Moreira. Bauru, SP: EDUSC.

LE BON, G. (2019). Psicologia das multidões. Tradução de Mariana Sérvulo da Cunha. São Paulo: Martins Fontes.

LIS, L. (2020). Governo Bolsonaro mais que dobra número de militares em cargos civis, aponta TCU. Brasília: G1. Política. Disponível em: https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/07/17/governo-bolsonaro-tem-6157-militares-em-cargos-civis-diz-tcu.ghtml

NAGLE, A. (2017). Kill All Normies: Online Culture Wars de 4chan e Tumblr a Trump and the Alt-Right. Winchester: Zero Books.

NITAHARA, A. (2020). WhatsApp é principal rede de disseminação de fake news sobre covid-19. Agência Brasil. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2020-04/whatsapp-e-principal-rede-de-disseminacao-de-fake-news-sobre-covid-19

POSETTI, J. & IRETON, C. (2019). Jornalismo, fake news & desinformação: manual para educação e treinamento em jornalismo. Tradução de Sarah Rebouças Reedman. UNESCO. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000368647.

SILVA, P. (2019). A insolência de um pensamento complexo: os memes do impeachment de Dilma Rousseff. (Dissertação Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Natal. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/28000.

TARDE, G. (2000). As leis da imitação. Tradução de Carlos Fernandes Maia e Maria Manuela Maia. Porto: Rés.

TARDE, G. (2005). A opinião e as massas. 2. ed. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes.

TARDE, G. (2003). Monadologia e sociologia. Tradução de Tiago Themudo. Petrópolis: Vozes.

VALENTE, J. (2019). Usuários de smartphone devem atualizar WhatsApp, orienta empresa. Brasília: Geral. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-05/usuarios-de-smartphone-devem-atualizar-whatsapp-orienta-empresa




DOI: https://doi.org/10.16921/chasqui.v1i148.4548

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2021 Ana Tázia Patricio de Melo Cardoso, Alexsandro Galeno Araújo Dantas, Patricia Rilliane Gomes da Silva

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

convocatorias

Es una edición cuatrimestral creada y editada por CIESPAL.
Av. Diego de Almagro N32-133 y Andrade Marín.
Quito-Ecuador.

Síguenos en:

convocatorias

convocatorias

Revista Chasqui 2018
está bajo Licencia Creative Commons Atribución-SinDerivar 4.0 Internacional.