Confecom, 10 anos depois: um debate necessário sobre a implementação das propostas aprovadas

Octavio Penna Pieranti

Resumen


Uma década depois da realização da I Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) no Brasil, é recorrente a análise de que as propostas aprovadas não foram implementadas. Este artigo tem o objetivo de avaliar se essa análise é procedente. Para isso foram examinadas as 633 propostas aprovadas, sendo separadas as programáticas ou impossíveis de serem mensuradas. Verificou-se que pouco mais de um terço das restantes foram implementadas, no todo ou em parte. O grande símbolo da conferência, um novo marco regulatório para o setor, não foi elaborado e enviado ao Congresso Nacional.


Palabras clave


Confecom; comunicações; conferência; políticas públicas

Referencias


Ancine (2017). Uma nova política para o audiovisual: Agência Nacional do Cinema, os primeiros 15 anos. Rio de Janeiro: Ancine. Recuperado de https://www.ancine.gov.br/sites/default/files/livros/ANCINE%2015%20ANOS%20WEB%20FINAL_em%20baixa2.pdf . Acesso em: 1º fev. 2019.

Barros, C. T. G. (2011). Radiodifusão brasileira e marco regulatório: Confecom e propostas. Estudos em Jornalismo e Mídia, 8 (1). Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/download/1984-6924.2010v8n1p6/18937. Acesso em: 29 jan. 2019.

Dantas, M. (2010). Resultados da 1ª Confecom: uma avaliação preliminar. XVIII Encontro da Compós. Recuperado de http://compos.com.puc-rio.br/media/g6_marcos_dantas.pdf . Acesso em: 29 jan. 2019.

Demarchi, C. H. (2017). Perspectivas para a democratização da comunicação no Brasil após a Confecom: breves apontamentos. Jornada Científica de Comunicação Social. Recuperado dehttps://www.usc.br/custom/2008/uploads/anais/comunic_social_2017/Temas_livres/Carlos_Henrique_Demarchi_perspectivas_para_a_democratizacao.pdf . Acesso em: 25 jan. 2019.

Demarchi, C. H., & Kerbauy, M. T. M. (2018). A democratização da mídia no Brasil pós-Confecom (2010-2017): proposta de um estudo de caso. Revista Mídia e Cotidiano, 12 (1). Recuperado de http://periodicos.uff.br/midiaecotidiano/article/download/9863/6993 . Acesso em: 29 jan. 2019.

Mattos, S. (2013) A Revolução digital e os desafios da comunicação. Cruz das Almas-Bahia: Editora UFRB. Recuperado de http://www.repositorio.ufrb.edu.br/bitstream/123456789/766/1/a%20revolucao%20digital%20e%20os%20desafios%20da%20comunicacao(1).pdf . Acesso em: 20 jan. 2019.

Melo, J., Iraci, N. & Vieira, V. (Ed.). (2009). Fazendo lobby: guia de participação de delegadas/os no processo de negociação e incidência na 1ª Conferência Nacional de Comunicação (CONFECOM). São Paulo: Rede Mulher de Educação. Recuperado de http://www.bibliotecadigital.abong.org.br/bitstream/handle/11465/776/1563.pdf?sequence=1. Acesso em: 27 jan. 2019.

Ministério das Comunicações (2010). Caderno 1ª Confecom: Conferência Nacional de Comunicação. Brasília-DF: Secom-PR. Recuperado de http://pfdc.pgr.mpf.mp.br/atuacao-e-conteudos-de-apoio/publicacoes/comunicacao/caderno-propostas-1a-confecom Acesso em 10 jan. 2019.

Pelegrini, M & Schiavo, S. F. (2014). Participação Popular na Mídia é Censura? CECS-Publicações/eBooks. Recuperado de http://revistacomsoc.pt/index.php/cecs_ebooks/article/download/1710/1645 . Acesso em: 21 jan. 2019.

Peruzzo, C. M. K. (2010). Rádios Comunitárias no Brasil: da desobediência civil e particularidades às propostas aprovadas na CONFECOM. Encontro Anual da Compós. Disponível em: http://compos.com.puc-rio.br/media/g6_cicilia_peruzzo.pdf . Acesso em: 28 jan. 2019.

Pieranti, O. P. (2011) O Estado e as Comunicações no Brasil: Construção e Reconstrução da Administração Pública. Brasília, DF: Abras/Lecotec.

_____. (2017). Políticas Públicas de Radiodifusão no Governo Dilma. Brasília, DF: Universidade de Brasília, Faculdade de Comunicação.

Sousa, E., & Barbalho, A. (2014). Entre a derrubada de barreiras e as teses dos conselhos de comunicação na I Confecom: uma análise das posições do empresariado participante. Eptic, 16 (3), 16-31. Recuperado de https://seer.ufs.br/index.php/eptic/article/viewFile/16/pdf . Acesso em: 27 jan. 2019.

Valente, J. (2014). 5 anos de Confecom: muito barulho por nada? Carta Capital, 19 dez. Recuperado de http://www.sjpdf.org.br/direitos/40-artigos-de-opiniao/2219-5-anos-de-confecom-muito-barulho-por-nada . Acesso em: 25 jan. 2019.

Veloso, A. M. da C., & Rebouças, E. (2011). As políticas e estratégias do feminismo brasileiro junto aos meios de comunicação no Brasil em tempos de Conferência Nacional de Comunicação (CONFECOM). Redes.Com, 6, 29-40. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/3919443.pdf . Acesso em: 29 jan. 2019.

Xavier, T. M. N. (2013). Confecom e o direito de comunicar. Rio de Janeiro: UFRJ (Monografia). Recuperado de https://pantheon.ufrj.br/bitstream/11422/4013/1/TXavier.pdf Acesso em: 29 jan. 2019.

Zambon, P., & Carvalho, J. M. de. (2010). Confecom: processo decisório e ações dos grupos de mídia. III Encontro Ulepicc-Br.




DOI: https://doi.org/10.16921/chasqui.v0i141.3837

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2019 Octavio Penna Pieranti

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

convocatorias

Es una edición cuatrimestral creada y editada por CIESPAL.
Av. Diego de Almagro N32-133 y Andrade Marín.
Quito-Ecuador.

Síguenos en:

convocatorias

convocatorias

Revista Chasqui 2018
está bajo Licencia Creative Commons Atribución-SinDerivar 4.0 Internacional.