Cultura de la telenovela: prácticas de circulación, apropiación y consumo mediático en las redes sociales digitales en Brasil

Erika Oikawa, Lourdes Ana Pereira Silva, Sara Alves Feitosa

Resumen


En este trabajo se asume que en Brasil la telenovela es un producto cultural transversal a la vez que se constituye en parte importante del repertorio social. Este hecho supone que las narrativas melodramáticas que pueblan la experiencia cotidiana de Brasil son una parte constitutiva de una visión del mundo. Igualmente se considera que el hábito de ver y comentar los argumentos y narrativas de telenovelas son prácticas sociales que están experimentando cambios significativos debido a la inserción de las redes sociales digitales como lugar de consumo, el intercambio, la circulación, la producción y la propiedad de los contenidos de la telenovela. En este contexto, el presente trabajo propone una mirada más cercana a la forma en que se expresan esas prácticas sociales de consumo y de circulación en las redes sociales digitales.


Palabras clave


telenovela; cultura; convergencia; consumo mediático; redes sociales digitales

Referencias


Aquino, M. C. (2012). Convergência entre Televisão e Web: proposta de categorização analítica [Tese]. Recuperado de http://hdl.handle.net/10183/72495.

Bazcko, B. (1985). A imaginação social. In: Leach, E. et al. Anthropos-homem (pp. 296-332). Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda.

Borelli, S. H. S. (2001). Telenovelas brasileiras: balanços e perspectivas. São Paulo em Perspectiva. [on-line]. vol.15, n.3, pp. 29-36. Recuperado de http://twixar.me/8QK.

Buonnano, M. (2004). Além da proximidade cultural: não contra a identidade, mas a favor da alteridade. Para uma nova teoria crítica dos fluxos televisivos interacionais. In: Lopes, M. I. V. de. (org.) Telenovela. Internacionalização e Interculturalidade. São Paulo: Edições Loyola.

Dhote, A. (1989). Cinéma et psychanalyse. In: CinémAction, No. 50, Saint-Denis (France): Charles Corlet.

Giddens, A. (1989). A Constituição da Sociedade. São Paulo: Martins Fontes.

Gombrich, E. H. (2012). Os Usos das imagens: estudos sobre a função social da arte da comunicação visual. Porto Alegre: Bookman.

Hall, S. (1997). A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. In: Revista da Educação e Realidade, Porto Alegre, 22(2), 15-46.

Hall, S. (2003). Da diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora da UFMG.

Jacks, N., Schmitz, D., Oikawa, E., Sifuentes, L., & Pieniz, M. (2012). Circulação e consumo de telenovela: Passione num cenário multiplataforma. In: Comunicação, mídia e consumo. São Paulo: ESPM, ano 9, vol. 9 n. 26, 91-210.

Jacks, N. et al. (2013). Passione e Avenida Brasil: produção crossmídia e recepção transmidiática? In: Lopes, M. I. V. (org). Estratégias de transmidiação na ficção televisiva brasileira (pp. 135-177). Porto Alegre: Sulina.

Leal, O. F. (1986). A leitura social da novela das oito. Petrópolis: Vozes.

Lemos. A. (2009). Cibercultura como território recombinante. In: Trivinho, E. & Cazeloto, E. (org.). A cibercultura e seu espelho: campo de conhecimento emergente e nova vivência humana na era da imersão interativa (pp. 38-46). São Paulo: ABCiber; Instituto Itaú Cultural. Recuperado de http://migre.me/2gHGa.

Lopes, M. I. V. de (org.). (2004). Telenovela. Internacionalização e Interculturalidade. Sao Paulo: Edições Loyola.

Lopes, M. I. V. de. (2011). A recepção transmidiática da ficção televisiva: novas questões de pesquisa. In: Filho, J. F.; Borges, G. (Org.). Estudos de televisão. Diálogos Brasil-Portugal. Porto Alegre: Sulina.

Lopes, M. I. V. de et al. (2013). Das ficções às conversações: a transmidiação do conteúdo ficcional na fan page da Globo. In: Lopes, M. I. V. (org). Estratégias de transmidiação na ficção televisiva brasileira (pp. 135-177). Porto Alegre: Sulina.

Martín-Barbero, J. (2004). Ofício de cartógrafo. Travessias latino-americanas da comunicação na cultura. São Paulo: Loyola.

Mazziotti, N. (2004). A força da emoção. A telenovela: negócios, audiências, histórias. In. Lopes, M. I. V. de (org.). Telenovela. Internacionalização e Interculturalidade. São Paulo: Edições Loyola.

Motter, M. L. (2004). Mecanismos de renovação do gênero telenovela. Empréstimos e doações. In. Lopes, M. I. V. de (org.). Telenovela. Internacionalização e Interculturalidade. Sao Paulo: Edições Loyola.

Oualalou, L. (2013). A fábrica de sonhos da Globo. Novelas, a construção de uma nação de telespectadores. Recuperado de https://www.diplomatique.org.br/artigo.php?id=1461.

Silva, L. A. P. (2012). Melodrama como matriz cultural no processo de constituição de identidades familiares: um estudo de (tele)novela e bumba-meu-boi – Usos,consumo e recepção. [Tese]. Recuperado de http://hdl.handle.net/10183/55326

Straubhaar, J. (2004). As múltiplas proximidades das telenovelas e das audiências. In. Lopes, Maria Immacolata Vassallo de. (org.). Telenovela. Internacionalização e Interculturalidade. Sao Paulo: Edições Loyola.

Strohschoen, A. M. (2003). Mídia e memórias coletivas. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação), Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo: UNISINOS.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2015 Chasqui. Revista Latinoamericana de Comunicación

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

convocatorias

Es una edición cuatrimestral creada y editada por CIESPAL.
Av. Diego de Almagro N32-133 y Andrade Marín.
Quito-Ecuador.

Síguenos en:

convocatorias

convocatorias

Revista Chasqui 2018
está bajo Licencia Creative Commons Atribución-SinDerivar 4.0 Internacional.